quarta-feira, 29 de abril de 2015

Oxum Kare

Oxum Kare
Filha do amor de Odé e Yemanjá
Água fresca que mata a sede do caçador
Pesca farta que sacia a fome dos seus filhos
Oxum Kare é a água que fertiliza a terra do justos
Babá Diego de Odé
11 4141-0167
Bom dia!
Lembre-se: 
Quando recebemos o chamado do Orixá, temos que ter em mente que vamos assumir também um novo papel na sociedade e perante uma nova família, por isso, pense bem antes de falar, escrever e tomar qualquer decisão.Viva em paz, encontre e viva sua essência, Orixá nenhum quer ver você triste, passando por necessidades e jogado às traças, Olorun é maravilhoso e criou um mundo cheio de oportunidades e Orumilá nos presenteia sempre com um novo caminho e assim, uma chance de recomeçar.
Muito axé e que todas as graças do Orún caiam sobre todos.
Babá Diego de Odé
Babálorixá
11 4141-0167
11 9 6617-8726

terça-feira, 14 de abril de 2015

Rumbè - Defenda seu Axé!

A partir do momento que somos iniciados naquele determinado axé, temos que valorizá-lo e buscar seguir seus ensinamentos. É muito bom ler, estudar e trocar ideias com pessoas de outras casas, mas não devemos confundir as coisas, pois é dentro da nossa casa de axé que ganhamos a base e principalmente o filtro para entendermos nosso caminho espiritual.

Recebo muitas mensagens do Brasil todo, de abiãs, yawòs e até egbomis que reclamam que frequentam o candomblé por anos, mas não aprendem nada e que o conhecimento é algo passado apenas a pessoas selecionadas ou da família de seus zeladores. Por todos esses relatos e por aquilo que já passei, sei que isso muitas vezes isso acontece. Por isso, você que está passando por essa situação, vá até seu zelador, abra seu coração e exponha sua duvidas e dificuldades. Se depois disso, as coisas não mudarem, aí sim pense em procurar outro caminho.

Estamos em uma religião para evoluirmos espiritualmente, aumentando nosso nível de consciência e consequentemente melhorando a forma com que vivermos. A falta de informação gera dúvidas e erros que podem prejudicar nosso caminho.

Pai e filhos unidos, essa é a vontade do Orixá, mas devemos entender que se vivemos na ignorância como vamos ter armas para defender nossa religião e o nosso axé?

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Disciplina no Candomblé



O Candomblé é uma religião afrodescendente e que sofreu adaptações pelo período de escravidão, perseguição religiosa e etc, porém uma marca da nossa fé que nunca se perdeu, é a disciplina, o cuidado e o respeito pelos mais velhos e a hierarquia. Somos de uma religião de resistência e lutamos muito para perpetuar o culto aos Orixás, por isso devemos respeitar seus dogmas e entende-los é primordial para alcançarmos evolução espiritual.
O que mais vem acontecendo, são os filhos de Orixá que se iniciam cientes das responsabilidades que irão assumir e após o período de resguardo ou até mesmo antes, começam a questionar e a desrespeitar os ensinamentos ancestrais, pois por mais que o Babálorixá ou Iyálorixá sejam flexíveis, ainda sim temos o dever de transmitir o que aprendemos e o que deve ficar claro é que noviço a partir do momento que recebe axé, está carregando o nome da sua casa, do seu pai e de toda uma família e vejo esse como o nosso maior compromisso.
Acredito que a hierarquia existe para organizar e proteger o nosso culto e não deve ser usada para humilhar ou diminuir ninguém, do abiyan ao egbomy. Humildade não é faltar arroz e feijão na sua casa, esse pensamento de que para ser humilde precisamos ser passar dificuldades é ultrapassado, afinal quem já não conheceu um rico humilde ou um pobre orgulhoso? O que te faz ser humilde é seu convívio com o próximo, é a gentileza ao receber um irmão, é a compreensão com o mais velho e a paciência com o seu mais novo, portanto, humildade é a base da disciplina.
Uma Casa de Axé precisa de disciplina, precisamos manter a ordem, a pontualidade e principalmente o respeito, ninguém é obrigado a morrer de amores pelo o outro, mas dentro do barracão, as diferenças não existem, pois colocamos a fé em primeiro lugar e se assim fizermos, o nosso caminho sempre será abençoado.
Muito axé e uma ótima semana!

O que você procura?



Diariamente ouço e leio muitas histórias de vida, homens, mulheres, crianças, adolescentes, cada um com sua trajetória e que buscam algo em comum, o seu lugar no universo. Ás vezes, vou dormi e o sono demora a vim, pois penso e reflito sobre os problemas e sempre chego a conclusão que mesmo sendo humanos e errando sempre, o Orixá nunca desiste de nós, sempre há um caminho, algo a ser feito para tentar melhorar a nossa existência, isso porque os seres divinos acreditam na nossa evolução e também precisamos acreditar.
Não é fácil enfrentar uma perca, uma separação, o desemprego e uma série de questões que vamos ter que enfrentar durante a vida e o papel da fé é exatamente apoiar e dar suporte para a dor ser minimizada e as nossas qualidades potencializadas. Eu acredito que dentro de cada um de nós existe uma parte de Olorun a que chamamos de Orixá, que vai nos proteger e que está sempre pronta para iluminar o caminho quando a escuridão tomar conta, que vai todos os dias nos dar força para não perdemos a esperança de um amanhã melhor, afinal estamos em uma realidade de dia e noite, de luz e trevas, de vida e morte.
Quem é de Axé, não reclama da vida e sim busca soluções para melhorá-la, lamento chama lamento, assim como uma postura positiva nos possibilita a ver com bons olhos o mundo e com clareza as oportunidades que o Orixá pode nos dar. Não é fingir que não temos problemas, não é nos isentar ou pular fases e sim resolver o que deve ser resolvido, confortar com o que precisa ser confortado, pois se o problema se tornou maior que suas forças é porque ele não é mais seu ou apenas seu, portanto, peça ajuda, grite, mas para quem realmente pode te ajudar e quem está do seu lado, nada de chorar as mínguas para o mundo, se seu intuito é chamar atenção, a única coisa que vai consegui é afastar as pessoas de você. Reparo que o fato das redes sociais possibilitar um maior “ciclo social”, faz com que muita gente acredite que realmente tem 5.000 amigos ou que todos aqueles que curtem uma postagem realmente se importa com aquilo que está sendo exposto.
Então a pergunta é: O que você procura? Quais seus objetivos? Se você não consegue responder, então procure as respostas antes de dar qualquer passo importante, afinal o acaso pode até parecer mais fácil, porém ele pode te levar a qualquer lugar e o Orixá certamente não quer ver um de seus filhos jogados ao léu.
Muito axé e que Ogún nos proteja!

Como Ser Um Babálorixá

Muita gente me pergunta como se faz para ser babálorixá ou iyálorixá, qual o caminho que devem percorrer, que conselhos eu daria e etc. Em primeiro lugar temos que entender que ser um líder religioso requer dom e realmente ser escolhido pelos Orixás, o que não significa que apenas a “inclinação” basta, se você não for lapidado, se não aprender e adquirir experiência, será apenas um talentoso perdido e pode até encontrar seu caminho, mas será muito mais difícil, então siga uma casa de axé, se dedique a buscar conhecimento tanto teórico quanto prático, pois ambos são importantes para guiar seus futuros filhos e para fortalecer sua armadura contra a inveja, a fofoca e a difamação.
Quando você ouvir dizer que o Orixá prepara os escolhidos, tenha em mente que a vida de um sacerdote não será apenas roubas bonitas, casa cheia, uma agenda semana lotada de atendimentos e viagem internacionais, isso tudo é consequência de muita luta, pois teremos que lidar com o que há de mais delicado nesse mundo, GENTE. Iremos conviver com todo tipo de temperamento e você vai precisar se fazer ser entendido, pois para cada um o Orixá irá se demonstrar de um jeito e é sua tarefa orientar e buscar sempre uma direção para o outro, enquanto também terá a responsabilidade de tomar conta do bem coletivo e da sua própria vida, que não vai parar.
Um conselho que eu me daria há dez anos atrás é que pensasse bem na hora de escolher uma liderança, pois nem todos os zeladores do Candomblé conseguem lidar com um “filho-zelador”, existe ainda muito ego e concorrência, mas isso não é da religião e sim do ser humano. Outro conselho seria que não misturasse a vida pessoal com a religiosa, mas isso aprendemos com as pancadas da vida, pois a pior besteira que um pai de santo pode cometer é chorar no ombro de um filho ou abrir demais sua intimidade, não são todos, mas a maioria das pessoas não conseguem entender o limite entre liberdade e libertinagem.
Acima de tudo, tenha amor por sua fé, pense bem antes de agir, antes de falar, pois você é um formador de opinião e não e apenas o seu nome que está em jogo, mas também de toda uma ancestralidade. Não pule etapas, se tiver que refazer algo ou errar, seja sincero e busque sempre fazer o melhor que puder, pois será isso que o Orixá irá ver, seu coração.
Muito axé e que Olorun esteja sempre com você!

A Força do Ajé - Como funciona

A força do Ajé – Como funciona Sabemos que no Candomblé a força do “Ajé” existe, seja em qual for a época, sempre se ouviu falar que há...