sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Minha História


Minha mãe foi iniciada em Oxum no quinto mês de minha gestação, pela iyálorixa Minervina de Ogum da nação Egba (Descendentes da cidade de Abeokuta, a capital do estado de Ogun e no Brasil uma nação de candomblé) e quem também fundou em 1964 o Egbé L'ajô. Aos meus 13 anos com a morte de nossa iyálorixá, dei continuidade as minhas obrigações com o Babalorixá Toninho de Oxum (Itapevi-SP).


Em 2007, Odé meu orixá, decidiu dá um novo rumo a minha história religiosa, onde migrei para o Ketu e no Ile Oba Oru tomei axé e meu Oye em 2009.

Em 2010, decidi criar o blog Terra dos Orixás, que em meses virou um sucesso, com mais de 60 mil acessos por mês, nele escrevo sobre o cotidiano do candomblé.

Hoje, eu e minha mãe carnal, estamos à frente do Ilê Asé Egbé L’ajô (Itapevi-SP),seguindo os preceitos da nação Ketu, buscamos a valorização do candomblé e de sua cultura, com responsabilidade socioambiental. Temos projetos como: Projeto Igbo, que trata da conscientização ambiental, Projeto Ade, que capacita artesãos e Projeto Oluwô, onde são formados grupos de estudo e debate sobre a cultura afro-religiosa.

O candomblé para mim não é só uma religião, é a minha família, por isso luto por ele, acredito que com seriedade, dedicação e principalmente amor, podemos mudar essa imagem tão deturpada do nosso culto. Sei que não é fácil vencer o preconceito e assumir publicamente que se é de uma religião afro-descendente, mas isso só vai mudar quando entendermos que, se ao invés de ficar se atacando e apontando o que é certo ou errado na casa do outro, nos uníssemos e levantássemos uma única bandeira, com certeza seriamos muito mais fortes.

Sinto muito e é até feio dizer, mas o mal de nossa religião ainda é a inveja, você não pode se destacar que já vem alguém inventar histórias para te prejudicar, pois cada ponto que eu escrevi a cima, tem provas e testemunhas, não são coisas inventadas, afinal presente e o futuro podemos mudar, mas o passado não.



Fotos

1986

Obrigação de 1 Ano - 2002

Obrigação de 3 anos - 2005

Obrigação de 7 Anos - 2009

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Oxum o pássaro de Olorun


Mensagem do Dia

Aprendi que...

Todos nós passamos por problemas e quem não tem, sempre arruma, mas isso não pode ser motivo para nos afastar da sua fé. Uma casa de Casa de Candomblé é preparada para receber sorrisos e lágrimas, pois mesmo que não tenha a solução para tudo, o Orixá sempre ameniza as situações ruins ou traça caminhos novos.


Mas isso só é possível quando abrimos nosso coração para aceita-lo, não de boca, mas de alma. Lembre-se, boa vontade, assim como todas as coisas dessa vida, se não tiver a atenção necessária, ela acaba e as pessoas por mais que gostem de nós, acabam se afastando, pois ajudar é uma coisa, agora se afundar junto é outra.

Reflexão sobre o Candomblé


Quando abrimos ou herdamos uma casa de Candomblé, contamos tanto com o Orixá quanto com os seus filhos, ali, naquele pedacinho de terra, estruturamos o que se tornará ou continuará sendo um axé, mas será que são paredes que fazem um barracão ter axé? Será que seu azulejo ou seus móveis que fazem ter mais ou menos axé?


Pois é, muitos leigos acreditam que sim, mas bastar se dedicar um pouco mais a religião, que nossa visão muda completamente. Tudo que o Orixá toca se torna sagrado e os atos mais simples, são os que mais axé guardam, pois é fácil acreditar no que encanta os olhos, no brilho das lantejoulas e na beleza das plumas, mas será que teremos essa mesma fé em uma pedra ou pedaço de ferro? É nesse momento que uma conversa que tive com alguém muito sábio me vem na mente:

- Meu filho, quem nasceu para ser do Orixá, terá que vencer os obstáculos de crer e aplicar a fé no vento, na água, na terra e no fogo, senti o axé e se tornar um só com natureza. Com o tempo você verá que tudo que o homem criou foi para alcançar algo que está aqui entre nós e não quer nada além de respeito e amor. Essa força de Olorun que se chama Orixá, quer nos guiar e nos integrar com o mundo em que nascemos e que construímos o tempo todo formas de se excluir dele, começou com paredes, cercas, nem comida de verdade agente quer comer, aquela que vem da terra fresquinha, hoje, tudo precisa ter passado pela tal da tecnologia para prestar. Entenda isso e será um bom zelador de Orixá.

Vamos priorizar o que merece ser priorizado!

Problemas Espirituais


Estamos em um mundo fisíco que é influenciado pelo espiritual, ou seja, o que fazemos aqui, no Ayè (terra) acaba influenciando o Orún (céu) e vice-versa. Lidar com essas energias não é tarefa fácil, pois os campos da nossa vida, amoroso, profissional, família e espiritual, estão interligados e um problema que surja em um dele, pode atrapalhar todos os outros e colocar em risco todo que você já conquistou até o momento.


Buscar uma consultoria espiritual nos ajuda na hora de tomar uma direção, pois vai nos colocar a par das energias que nos possibilita bons caminhos, assim como nos mostra as possíveis dificuldades que vamos ter que enfrentar no caminho. Com base nessas informações, conseguimos ter uma visão ampla da situação e assim escolher a estrada que vai nos trazer melhores benefícios.

Nossa casa de axé, o Egbé L’ajò, recebe diariamente pessoas de vários estados e países e com uma consultoria séria, levamos a palavra do Orixá, ajudando você a conquistar seu espaço e a trilhar um caminho de felicidade.

Ligue e marque sua consulta.

Telefone:
11 4141-0167 /9 6617-8726

Ou então envie sua história para o e-mail abaixo e receba o conselho que pode mudar sua vida:
terradosorixas@hotmail.com

domingo, 26 de janeiro de 2014

Ser Filhos do Egbé L’ajò


Nossa casa possui cinquenta anos de história e experiência no culto à Orixá, acreditamos que a receita para um bom Candomblé é aliar a sabedoria da experiência com a força da juventude e recebemos diariamente pessoas do mundo todo, que buscam na fé do Orixá, uma vida espiritual plena e com isso bons caminhos para sua vida.


A Vida está cada vez mais competitiva, a cada passo que damos rumo à evolução, criamos ferramentas que nos ajudam a ter mais conforto, mas que também tornam a nossa vida totalmente presa ao material, contudo chega um momento onde nada disso faz sentido, então vem a depressão, a ansiedade e pensamentos negativos que abrem a porta para todo tipo de energia negativa e temos que escolher, ficar e se afundar ou buscar ajuda espiritual, uma religião que saiba lidar com as energias positivas e negativas que nos cercam, saibam que o Candomblé é essa religião, pois abraça e recebe as pessoas sem preconceito, afinal entende os mistérios da alma.

Nós do Ilè Asé Egbé L’ajò estamos de portas abertas para receber você que busca uma casa séria e com princípios, que tem como missão levar a fé do Orixá, mediante a simplicidade, dedicação e união. Enquanto vivermos haverá obstáculos e ter a força do Orixá despertada na sua vida, te fará estar sempre um passo a frente.

Seja feliz, encontre seu Orixá, encontre você!

Ligue e Marque sua consulta:
11 4141-0167 - 11 9 6617-8726 

Ou então mande sua história para o e-mail abaixo e receba a direção para resolver seus problemas:
terradosorixas@hotmail.com

Festividades de Oxalá

Boa noite,


Depois de descansar o dia todo, após 23 dias de funções, paro para refletir sobre esse que foi o primeiro evento de 2014.

Passamos o sábado todo, dia 25 de janeiro, tratando dos afazeres, assim foi Orunkó pela tarde e as 20h40 começou o sirè, onde fomos “surpreendidos” com a presença da Policia Ambiental, que veio a nossa casa de axé, devido a uma denuncia que estaria ocorrendo sacrifícios com animais, mas isso não abalou nem alterou a ordem dos ritos, que prosseguiu na mais perfeita harmonia, aproveito para agradecer os policiais que apuraram o caso, pelo cumprimento da lei e pela educação impar que tratou o Babálasè Rosivaldo que os recebeu e nossa casa.

Agora me diz se essa casa tem ou não Esú vigiando e protegendo? Tomara que quem tenha tido o trabalho de fazer a denuncia, também tenha um Esú bem tratado, para que quando a justiça visite sua casa, também saiba entrar e sair, lembrando que não existe apenas a justiça dos homens, há também a de Sangò.

E assim seguiu nossa noite, com a casa lotada e muitas emoções. Outro ponto que marcou o evento foi a comemoração do Odun Ijè da Mayra de Oxalufã, Odun Oxumetá de Ricardo de Odé e a iniciação de Léia e Silvia de Oxum, pessoas do bem, voltadas para o Orixá, que me dão muito orgulho.

Agradeço a todos filhos e netos do Egbé L’ajò, pois provaram que são guerreiros e que levam a bandeira, defendendo nosso axé, sou um privilegiado de fazer parte da vida de vocês, claro que sempre existirá as minorias que não dão valor a casa que as acolheu, mas à eles eu só peço misericórdia e agò ao Orixá.

Uma ótima semana!

P.S: Amanhã, segunda, volto as minhas funções normais.

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Feliz Ano Novo!

Boa noite!

Um novo ano se inicia e com ele muitas promessas. 

Agradeço a todos os filhos e amigos que estiveram do nosso lado nessa linda passagem de 2013 para 2014.

Eu acredito que não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quantos passos irá dar daqui para frente, usando suas más experiências como aprendizado para a construção de uma nova atitude e postura perante a vida.

Buscar no Orisá a força para recomeçar

Durante a vida vamos passando por momentos onde nada tem explicação, são crises que vem como tempestades que param ...